Minha homenagem a Athos Bulcão

23 jun

Os azulejos da Ingrejinha da 307 Sul (e eu feliz da vida, vendo-os pela primeira vez ao vivo, no meu primeiro ano em Brasília)

Quem vem à Brasília, em algum momento se deparará com alguma obra de Athos Bulcão. Se vem de avião, irá ver seus azulejos amarelos e laranjas, verdes e azuis no aeroporto. Se der uma passadinha pela quadra modelo, a 307 Sul, irá conhecer a Igrejinha com seu formato de chapéu de freira e azulejos de fundo azul com lindas pombas brancas de traços modernistas. Se for conhecer a Esplanada, passará, em algum momento, em frente ao Teatro Nacional, cujas peças de concreto são de sua autoria. O artista está impregnado pela cidade e essa é uma das coisas que eu mais gosto daqui. Sou muito fã de Athos e só fui conhecer mais sobre seu trabalho depois que me mudei para a capital federal.

Athos Bulcão veio para Brasília quando a cidade ainda era um canteiro de obras, convidado por Oscar Niemeyer. Os dois eram amigos comuns do paisagista Burle Marx. Ele chegou aqui em 1958 e nunca mais foi embora. Além de muitos trabalhos realizados em parceria com Niemeyer, Athos também passou a dar aulas na Universidade de Brasília, no Departamento de Desenho do Instituto Central de Artes. Sempre foi muito discreto e era chamado de “Monsenhor” pelos alunos, devido a seu falar baixo e tranquilo. Parece que há mais de 200 trabalhos de Athos Bulcão espalhados pela cidade: além dos citados acima, há ainda os azulejos do Parque da Cidade, no Itamaraty, Câmara dos Deputados, e várias residências. E azulejos não eram sua única especialidade: ele era um artista por inteiro, pintor, escultor, desenhista, mosaicista.

Os "meus" Athos Bulcão, que enfeitam meu lar doce lar

Muita gente não sabe, mas todo mundo pode adquirir um ou muitos azulejos do artista por meio do site da Fundação Athos Bulcão. Eu mesma já garanti dois, que escolhi a dedo para emoldurar e fazer dois quadros para decorar minha sala. Mas também é possível encomendar a quantidade que você quiser, caso queira fazer um painel ou revestir algum canto da sua casa ou escritório com azulejos assinados por Athos.  (Obs: Entrei no site e vi que não há azulejos disponíveis para venda no momento. Vou tentar descobrir porque a loja online está vazia nesta categoria, sendo que eu comprei por lá há alguns meses apenas.)

Apoio muito esse tipo de comercialização, até porque a sua arte não pode ficar restrita à Brasília, ele é um grande artista e precisa ser conhecido por todos os brasileiros.

Athos Bulcão morreu com 90 anos, em 31 de julho de 2008, nem faz muito tempo. E eu ainda o sinto impressionantemente muito vivo por aqui.

Abaixo, mais um pouco da presença do artista por Brasília:

Suas peças no Parque da Cidade só ajudam a deixar meus momentos por lá ainda melhores

Azulejos e plantas no jardim interno da Câmara dos Deputados

Azulejos e plantas no jardim interno da Câmara dos Deputados

Fachada do Teatro Nacional com o trabalho do artista: esculturas na parede lateral

A igrejinha (que é Igreja de Nossa Senhora de Fátima) por inteiro

Anúncios

8 Respostas to “Minha homenagem a Athos Bulcão”

  1. Sheilinha junho 24, 2011 às 1:38 pm #

    Fala sério. Brasília é uma obra de arte por si só. Não está restrita em galerias de arte. Amo minha cidade!

  2. Anderson Falcão junho 24, 2011 às 8:15 pm #

    Adoro ver essa paulista rendida às belezas da capital! Belo post, baby. Beijoca!.

    • Carol Monteiro junho 27, 2011 às 8:50 pm #

      Completamente rendida! E feliz!
      Beijo!

    • Amanda setembro 2, 2011 às 9:23 pm #

      adorei tudo athos bulcão realmente era um homen maravilho peo que fez na sua trajetoria adorei e peguei umas fotos para meu trabalho

      • Amanda setembro 2, 2011 às 9:24 pm #

        *pelo**

      • Carol Monteiro setembro 4, 2011 às 7:26 pm #

        Obrigada pela visita ao blog, Amanda! ;-)

  3. Laís Costa fevereiro 22, 2013 às 12:58 pm #

    Olá!
    Parabéns pelo blog! Estou acompanhando o seu blog.
    Também sou apaixonada pelo Athos, e tenho os azulejos da Igrejinha tatuados nas costas.
    :)

Trackbacks/Pingbacks

  1. Alexandre Mancini, discípulo de Athos | Casa de Filó - fevereiro 22, 2013

    […] esses dias o trabalho do Alexandre Mancini com azulejos. Eu amo azulejos. Eu amo arte em azulejos. E amo Athos Bulcão. Pronto, gamei na hora no trabalho do […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: