Arquivo | Artesanato RSS feed for this section

Pra toalha não voar

11 mar

E aí que você vai lá, prepara aquela mesa linda na sua varanda ou jardim, mas a toalha insiste em ficar voando, batendo na cara dos convidados, e você logo começa a ficar irritado com o vento que não pára, ainda que seja uma brisa deliciosa e leve batendo onde um almoço super gostoso acontece.

Olha só que ideia ótima, linda e charmosa que encontrei pra isso!

ótima ideia para toalha não voar

pedras segurando toalha tulipa baby

Bóra experimentar?

(Fotos: Pinterest/Tulipa Baby)

Anúncios

Ó, Minas Gerais… Visitando a Índia em BH

10 jan

Minas é uma delícia. Ok, sou suspeita, sou casada com um mineiro, hehe. Mas eu adoro o clima, as pessoas, a natureza, o artesanato mineiro. E adoro Belo Horizonte. Fazia um bom tempo que não visitava BH e tinha combinado com o marido que este Natal eu passaria com a família dele por lá e aproveitaria pra passar uns dias passeando e curtindo a cidade.

E num desses passeios, surgiu a ideia deste post. A “descoberta” eu devo à minha cunhada, Juliana. Eu passei horas de uma tarde de dezembro em uma loja chamada Casa da Índia. E lá dá mesmo pra você passar algumas horas: eles vendem, no atacado e varejo, itens importados da Índia como roupas, bolsas, bijoux, e muitas, mas MUITAS coisas pra CASA. Algumas coisas eu achei caras, outras, bem acessíveis.

bule e potes coloridos

IMG_5381

IMG_5379

IMG_5391

Vão desde colchas para todos os tamanhos de cama, toalhas para mesa, capas de almofada, bandejas (lindas e delicadas!), luminárias, garrafas mega estilosas, bancos, mesas, até peças mais pequenas como puxadores, porta-trecos, porta-copos, porta-incensos (e incensos, claro), enfeites, móbiles, entre diversas coisas.

IMG_5383

colcha solteiro

IMG_5390

IMG_5392

E se você não é de Belo Horizonte nem está pensando em dar um pulo por lá tão cedo, boa notícia: eles têm loja online. É só clicar aqui pra conferir.

IMG_5394

Outra dica imperdível de BH é o Mercado Central da cidade (foto acima). Além de se perder entre aromas e cores mil (queijos, doce de leite, cachaças, ahhhhh), tem muita coisa bonita pra casa por lá: as famosas canecas mineiras, bules com cara de roça, panelas de ferro e barro, ganchos, tapetes, cestos, enfim, dá pra fazer a festa. Eu fiz :)

É isso, meu povo, bóra começar 2014 cheio de alto astral, renovando as energias internas e externas!

IMG_5396

Endereços dos locais citados nesse post:

Casa da Índia
Rua Levindo Lopes, 358/202 – Bairro Funcionários (Savassi) – Belo Horizonte – Minas Gerais
Tel: (31) 3889 -7530

Mercado Central de Belo Horizonte
Av. Augusto de Lima, 744 – Centro – Belo Horizonte – Minas Gerais
Tel: (31) 3274-9434

Vasos de tecido super versáteis

11 set

vaso2

Hoje, dando aquela espiadinha no Facebook, me deparei com uma boa surpresa: uns vasinhos mega fofos, de tecido, estilo cachepot, para pendurar na parede ou onde mais você achar que dá.

Curti a ideia porque achei verdadeiramente versátil. Além de flores, dá também pra usar como porta-coisas: lápis, canetas, brinquedos, e o que mais você achar que dá. Para o caso de uso com flores, não é recomendável molhar as plantas dentro do cachepot. O forro é feito de nylon, um tecido resistente, mas não impermeável.

vaso3

Eles parecem ser bem fáceis para pendurar, porque vêm com uma argolinha que encaixa direitinho no tamanho de pregos ou ganchos. Mas ainda dá pra usar a criatividade e pendurar vários vasinhos numa cordinha, já pensou que montagem linda que pode ficar?

Além disso, as diferentes estampas ajudam a criar um ambiente diversificado, descontraído e colorido. Do jeitinho que você quiser.

vaso1

A criação é de Priscila Klein e o produto pode ser encontrado na momö, uma graça de lojinha que fica em São Paulo. Se você não mora na capital paulista, acho que rola um combinado de envio pelos correios.

Como faz ladrilho hidráulico?

15 out

(Foto: Papo de Design)

Os super falados ladrilhos hidráulicos estão em alta já faz algum tempo. Apesar de não ser uma peça barata, ele tem entrado cada vez mais nas casas dos brasileiros. As famosas paredes de patchwork de ladrilho, então, caíram totalmente no gosto e cabem em projetos residenciais e comerciais.

Mas você já parou pra pensar como se faz um ladrilho hidráulico?

Descobrindo agora o processo artesanal que já por trás de cada ladrilho daquele, você entenderá porque ele não é barato nem nunca vai ser. Abaixo, trago um vídeo que mostra uma peça sendo produzida em uma fábrica na cidade de Barbalha, no Ceará.

O ladrilho hidráulico não vai ao forno. O primeiro passo para a sua produção, com a forma que cria aquele desenho que você vê, é aplicar todos os pigmentos escolhidos em cada espaço reservado pra eles. Retirada a forma, já dá pra ver o desenho, mas ainda tem mais: é hora de colocar camadas de pó secante e cimento úmido, ou seja, aquela mistura que faz com que o ladrilho tenha uma espessura maior do que as dos revestimentos industrializados. Por fim, ele vai à prensa e depois deve secar durante 24 horas, seguido de uma imersão de água de 8 horas. Ufa!

Gostou?

Olha outro aqui, que também mostra direitinho como ele é feito:

Uma casa que é a cara da dona

31 ago

Toda casa tem sempre a cara da pessoa (ou das pessoas) que mora(m) nela. A casa da Lélia, que vive em Brasília no bairro do Sudoeste e que vocês vão conhecer agora, me deixou impressionada pelos detalhes. Ela morava num lugar maior e teve que se mudar pra um menor. Coisas da vida. Mas nem por isso Lélia desanimou: ela desandou a reaproveitar coisas que já tinha e a decorar o espaço com o seu jeito, a sua personalidade. Quando isso acontece, ainda mais assim, feito com carinho, o resultado é sempre feliz, até porque ela é feliz ali dentro. =)

E detalhe: a Lélia trabalha em casa, logo, a preocupação em ter um ambiente bonito, cuidado, organizado dobra! Ela divide o espaço com mais 3 gatinhos fofos. E quem disse que a casa dela é desarrumada por causa disso? Olhem as fotos e comprovarão! E não foi nada combinado, juro.

O bacana também é que ela não gastou a maior grana, foi mais uma questão de reordenamento do espaço, que era diferente quando ela chegou lá,  e de sensibilidade para ter boas sacadas.

O apê praticamente não tem paredes, é tipo um loft. Parede, só no banheiro e um pouco na cozinha. Ela conseguiu fazer uma separação de ambientes muito bem feita usando tapetes e uma estante baixa, que separa a sala do quarto.

Agora vamos aos detalhes e vamos logo pra cabeceira de cama que ela inventou, uma das mais lindas que já vi na minha vida.

Ela adora e faz bordado e isso se reflete na cabeceira e na casa toda. A cabeceira é feita de várias bolsinhas coloridas bordadas e outros enfeitinhos, montados cuidadosamente na parede.

A Lélia é escritora, por isso tantos livros. Ela já morou na Argentina e viajou bastante por esse mundão. Com carinho por esse ‘passado’, ela traz como se fosse uma ‘memória viva’ várias peças de diferentes lugares. Muito lindo isso.

Esse tecido bordado abaixo são das Bordadeiras de Taguatinga, um trabalho que eu já tinha muita vontade de mostrar aqui pra vocês. Pra quem não sabe, Taguatinga é uma cidade satélite aqui de Brasília. Visitem o site delas pra descobrirem o trabalho incrível dessas mulheres.

Sabe, pessoal, é claro que gosto de trazer pro blog novidades do design, da arquitetura, casas novas e bacanérrimas. Mas eu também acredito que morar bem não é só gastar a maior grana com decoração.

Tenha carinho com o lugar onde mora, repare naquilo que te faz bem e te garanto que são bem grandes as chances da sua casa se tornar um lugar onde todo mundo vai gostar de estar, principalmente quem mais importa: você.

Ah! E todas as fotos foram gentilmente tiradas e cedidas pela querida Priscila Pagliuso, fotógrafa paulista fera que estava nos alegrando com a sua visita num final de semana em Brasília.

Festival em SP, Feira em BSB

13 ago

São Paulo e Brasília recebem, em agosto, eventos que têm a ver com tudo que a gente fala aqui no blog.

Todos acontecem na mesma semana, de 23 a 26/08 (quinta a domingo).

Na capital paulista, são dois super eventos simultâneos: a 1ª edição da Design Weekend e a 21ª edição da Craft Design.

De acordo com a própria definição do evento, o DW! não é uma feira, mas sim “Um grande festival, composto por dezenas de eventos independentes, simultâneos, integrados por um “Programa Oficial”. Ele foi criado para promover o design e suas conexões com a arte, arquitetura, urbanismo, decoração, inclusão social, agregação de valor, negócios e inovação tecnológica.” 

São Paulo, no Brasil, tem sido a cidade com mais eventos significativos em tamanho e mobilização em arquitetura, design, decoração e artesanato. Não é pra menos, claro. É uma baita metrópole, enorme não só no tamanho e na população, mas também na sua diversidade e na possibilidade de investimentos ($$) deste porte.

Continue lendo

Feira Internacional de Artesanato: eu fui!

17 abr

Pois é, pessoal… eu fui no domingo (15) e trago aqui pra vocês alguns destaques que curti e que me fizeram entender porque vale a pena dar uma passada que seja na feira.

Minha primeira dica é a seguinte: ande primeiro por todos os estandes antes de comprar alguma coisa. Pode ser que você gaste demais em um e depois ache outra coisa mais legal ainda em outro.

A segunda dica: leve dinheiro em espécie. Isto garante mais descontos na hora de barganhar.

Logo que você entra na feira, já se depara com o estande do Sebrae de Minas Gerais, que tem trabalhos muito bons, de ótima qualidade e bom gosto.

Artesanato mineiro é o que não falta!

Este aí é o Tião, artesão que há 1 ano começou a se dedicar só às esculturas de barro

E como não podia deixar de ser, o patchwork está presente com força total na feira. Colchas, jogos americanos, necessaires, almofadas, capas para travesseiro, bichinhos infantis, tem de tudo por lá.

Bichinhos pra enfeitar quartos infantis (e também distrair os pequenos, claro!)

Eu gostei demais dessa colcha...

Um dos grandes destaques da feira é, sem dúvida, o artesanato feito na Serra da Capivara, no Piauí. Eu comprei uma leiteira e um açucareiro lindos de morrer. Eles trazem imagens de desenhos rupestres, reproduções de desenhos que existem de verdade no parque nacional da Serra da Capivara, um lugar muito interessante e bonito também para se visitar no Brasil.

Bules de cerâmica com desenhos rupestres da Serra da Capivara

Pratos de cerâmica, com variações nas cores azul, bege e verde, também com desenhos rupestres

Se você é fã daquelas imagens da pomba do Espírito Santo, vai se esbaldar por lá. Tem de tudo que é tipo, tamanho, material, cores…

Espírito Santo feitos em MDF pintados de branco com fundo de tecido e alguns enfeites. Simples e uma graça. Também uma opção muito legal pra dar de presente.

Como já falei aqui pra vocês, a feira é internacional… logo, traz também itens de vários lugares do mundo. Confesso que essa parte realmente me impressionou. São vários estandes de Bali, Tunísia, Paquistão, Turquia, Marrocos, África do Sul, Peru, Rússia, entre outros. Abaixo, uma pequena amostra do que cliquei por lá:

Taças turcas... haja brilho! Elas são banhadas a ouro de 24k.

Máscaras de Bali, de diversos tamanhos, cores e pra todos os gostos

Tecidos paquistaneses, coloridões. Do Paquistão, também tem pra vender vários tapetes.

Mamuskas russas, originais! Estas eu não resisti e também levei pra casa.

Acho que já deu pra dar giro virtual pela feira, né? Agora, se você é de Brasília e animou, tem quer ver ao vivo. A 6ª edição da FINNAR, Feira Internacional de Negócios do Artesanato, vai até 22 de abril, próximo domingo, e acontece no Centro de Convenções Ullysses Guimarães, localizado no Eixo Monumental, próximo ao Clube do Choro.